sábado, 27 de agosto de 2016

Presente pro FC Nossa Estrela - 22 de julho de 2015


“O que me encanta em Adriana, entre outras coisas, é a forma como ela conduz tudo a seu redor. É pelo afeto que ela se relaciona, trabalha, educa, namora, cobra”
Vladimir Brichta
 Imagem mandada por Gabriela Alexandra da Silva
 SITE

"Eu sempre quis ser mãe.... desde que eu nasci que eu penso nisso... quando Ele quiser, aqui tem um corpo" 
Adriana em 1997 sobre o desejo de ser mãe


Grupo no Facebook  - 789 membros (27/8/16)+2
Twitter
Insta 
Administrado por Isabel Sousa Dias e  Yasmin Andrade

"Apaixonada por suas escolhas, linda...O mistério a acompanha, como uma Caixa de Pandora que já me devorou faz tempo."
 "Eu sou o que cata a poesia que ela entorna no seu dia a dia"
Vladimir Brichta, em 2012
video


 Adri, sua linda! Obrigada, muito obrigada pelo seu carinho! Te adoro!!

Vladimir Brichta - Post dedicado ao ator


 "Eu sou o que cata a poesia que ela entorna no seu dia a dia"

"Apaixonada por suas escolhas, linda...O mistério a acompanha, como uma Caixa de Pandora que já me devorou faz tempo."


video

Vladimir Brichta foge do humor parachocar como traficante em Justiça

 

Cabeludo e loiro, Vladimir Brichta está diferente na minissérie Justiça. A mudança não é só visual. Na pele do traficante Celso, o ator poderá mostrar outro lado de seu trabalho, já que ele passou cinco anos interpretando Armane, um personagem leve e atrapalhado do humorístico Tapas & Beijos. "Eu acho que terá um choque aí, um estranhamento. Mas eu acho bom. Eu tirei um pouco da simpatia do personagem para dar uma diferenciada mesmo. Vão me ver em outro gênero", diz Brichta.

Para o ator, sair do humor na televisão é uma grande oportunidade. Ele diz que o grande público assiste TV, pois nem todo mundo pode ir ao cinema e ao teatro. Por isso, essa troca é importante para o telespectador vê-lo em "outro lugar". "Se um filme fizer um milhão de espectadores, é de fato um dia de uma tevê ligada. O público conhece o meu trabalho por meio do humor. Ser visto de outra forma me anima bastante", comenta.

Celso faz o estilo surfista, trabalhava em um quiosque na praia, vendendo sucos, sanduíches e drogas no começo da história, em 2009. Ele é apaixonado por Rose (Jéssica Ellen), a protagonista das quintas-feiras na trama. O capítulo de ontem (25) mostrou os dois transando ao som de uma canção de Gilberto Gil

Nos sete anos que se passaram, Celso virou "patrão". Ele também será dono de um prostíbulo e estará envolvido com Kellen (Leandra Leal).

Volta às novelas

Brichta aceitou o convite para fazer Justiça mesmo sabendo que vai protagonizar a próxima novela das sete. Ele teve de se dividir entre a preparação para Rock Story e as gravações da minissérie. "Topei de imediato porque a trama é muito bem elaborada. As histórias são muito pesadas em si. Mas meu personagem tem uma trama romântica. Ele é quase um alívio dentro desse mosaico de vidas."

Em Justiça, a cada dia da semana uma  história diferente é apresentada. Porém, o público vê a mesma cena de vários pontos de vista. "Acho isso enriquecedor e ressoa até no próprio exercício de julgar. A mesma cena com ponto de vista de cada um muda. Assim é a nossa justiça. Para mim é justo, para outra pessoa não é. Cada um de nós tem uma opinião sobre o que é correto. Essa linguagem é um trunfo do projeto", reflete o ator.

Apesar de estar na mesma trama que sua mulher, a atriz Adriana Esteves (a Fátima, protagonista das terças-feiras), seus personagens mal se cruzarão. Mesmo assim, ele conta como o casal fica quando está atuando no mesmo produto. Os dois começaram a namorar depois de trabalharem juntos na novela Kubanacan (2003). Essa é a primeira vez que eles voltam a fazer parte da mesma equipe, num projeto da TV, depois de uma rápida participação de Vladimir no especial História de Amor, série que contou a história da TV no aniversário de 40 anos da Globo e teve Adriana como protagonista. 

"Eu sempre vibrei com as coisas dela. Ela sempre vibrou com as coisas que eu fazia. Agora, é muito engraçado porque, quando eu chego em casa e falo das cenas que eu realizei, Adriana fala sobre as delas e me envolvo muito mais. A gente fica sempre alimentando um pouco a curiosidade do outro. Desses anos que a gente não se encontrou no mesmo projeto de TV, talvez a gente nunca tenha falado tanto sobre um trabalho como nos últimos meses", conta Brichta.

O ator estreou em novelas em 2001, em Porto dos Milagres. Mas desde Belíssima, em 2006, não atua em um folhetim. Ele conta que esse é um momento importante por fazer parte de um projeto ousado e por ser sua volta às novelas. 

"Nesse momento, eu estou fazendo quase as duas coisas ao mesmo tempo. Me preparando para a nova trama e gravando Justiça. Estou fazendo aula de canto e guitarra. Eu vou interpretar um roqueiro que começa a trama meio decadente. Em meio a vários conflitos, ele descobre um filho, que também é talentoso. Cria uma boy band para voltar às paradas e competir com o arquirrival, que é o personagem do Rafael Vitti. Meu filho vai ser interpretado pelo Nicolas Prattes. É legal falar que eu sou o coroa da novela. Eu tenho 40 anos e terei dois filhos na ficção, com 20 e 18 anos. Rock Story promove um encontro de gerações que é muito bom", adianta.

Personagem de Vladimir Brichta em 'Rocky story' tem Chorão como referência

 Em “Rocky Story”, Vladimir Brichta vai interpretar Guilherme, o popstar em decadência protagonista da próxima trama das sete. Segundo a sinopse da novela, Gui falta compromissos, atrasa, reclama e cria confusão por qualquer motivo. “Minha referência é o Chorão (líder do Charlie Brown, que morreu há três anos) pelo temperamento explosivo que ele sempre teve”, disse Vladimir.

Para a novela, escrita por Maria Helena Nascimento, Vladimir Brichta está fazendo aulas de canto e guitarra ao mesmo tempo em que grava suas cenas em "Justiça" (que estreia dia 22). Será de Vladimir a voz de “Sonha comigo”, música de sucesso do cantor que vai tocar bastante na trama.

Leia mais: http://extra.globo.com/tv-e-lazer/telinha/personagem-de-vladimir-brichta-em-rocky-story-tem-chorao-como-referencia-19853174.html#ixzz4Gn9NO6vE

Membros do FC

  Justiça

Drivla assistem ao 1º Episódio 

 

video

Vídeo do Snap da Quem mandado por Isabel Sousa Dias - Portugal

 

Vladimir Brichta diz que atuar com Adriana Esteves ajuda na relação

Casal de atores, que está no elenco de ‘Justiça’, não trabalhava junto na TV desde 2004, quando atuou em ‘Kubanacan’. ‘Sou fã dela’, elogia ele.

 

Não levamos o personagem para cama. Para casa talvez, mas para cama vamos só eu o Vladimir mesmo (risos)"

Adriana Esteves
Depois de tanto tempo, depois de mais de dez anos, é muito bom estar no mesmo projeto que a Adriana. Sempre vibramos com o trabalho um do outro e é ótimo.  A gente tem muito pra trocar. Talvez, nesses últimos dez anos que ficamos desencontrados na TV, a gente nunca tenha falado tanto sobre trabalho como nesses últimos meses. É bom pra relação. Ajuda”, analisou Vladimir, que confidenciou uma admiração antiga pela mulher:  “Antes de ser marido, eu era um grande admirador do trabalho dela, era um fã. Não tem como não falar que ela se dedica muito a qualquer trabalho. É muito bom vê-la feliz num projeto”. Ao falar do marido, Adriana lembrou que alguns casais podem ter competições pelo trabalho e explicou que com Vladimir isso não existe. “Competição lá em casa é para ver quem vai ficar mais feliz. A gente se estimular pra gostar do trabalho, pra ter ânimo, para enxergar coisas boas. Um ajuda muito o outro. Conversamos sobre assuntos que vão enriquecer os personagens”, afirmou a atriz, antes de fazer uma ressalva: “Não levamos o personagem para cama. Para casa talvez, mas para cama vamos só eu o Vladimir mesmo (risos)”.

Mudança no visual remete à adolescência
Para viver o bandido Celso em “Justiça”, Vladimir Brichta precisou fazer uma mudança no visual. Ele clareou os cabelos e agora está loiro. O ator diz que muitos estranharam o novo estilo, mas conta que para ele foi apenas uma volta ao passado. Ele lembra que já teve os cabelos loiros e parafinados quando era mais jovem.

“Mudar meu cabelo me fez lembrar totalmente da minha adolescência. Eu frequentava muito praias com meus cabelos tingidos de parafina. Todo mundo que olha meu novo visual se surpreende, mas eu não achei estranho ou diferente. Passei dos meus 12 aos 20 anos com o cabelo comprido e loiro. Estou apenas voltando ao passado”, disse o ator.
E essa não é a única característica em comum do ator com o personagem. Assim como Celso, Vladimir também já trabalhou em quiosques na praia: “Já fiz isso. Minha mãe tinha um quiosque na praia, todo esse universo é muito familiar pra mim e não tão distante. Já vendi coco na praia", contou.


Vladimir Brichta - De bem com a vida, com ele mesmo e com a carreira 

 Um homem maduro, no cerne da palavra. Este é um bom “resumo” para Vladimir Brichta. 40 anos, teatro, cinema e novelas no currículo, 2 filhos e um enteado, casado com Adriana Esteves, bonito, charmoso e um olhar equilibrado sobre a vida que não o deixa se envaidecer pelo efêmero, que o orgulha de suas raízes e o faz criar os filhos com senso crítico e liberdade de pensamento. Conheça um pouco mais deste ator que é bem uma mistura de brasilidade.

 Conta para a gente o que é que o baiano (mineiro) tem? (risos) Olha, sou uma mistura de: baiano, onde cresci e tive minhas principais referências; mineiro, onde nasci e está a cidade (Diamantina) que meu pai não me deixa esquecer; com São Paulo, de onde são meus pais; com Rio de Janeiro, onde vivo há 15 anos… Enfim, sou um pouco nômade e bem misturado, como o resto da minha família e isso diz bastante a meu respeito. A partir disso, o baiano (mineiro) tem orgulho de sua família e profissão, é um otimista visitado por ideias pessimistas, tem ambições reveláveis só na intimidade e tem saudades da Bahia que já não sabe se é real ou imaginária.

Seu nome é uma homenagem do seu pai (preso pela ditadura) ao Vladimir Hergozov morto no mesmo ano que você nasceu. Como lida com a política? Nasci em uma época em que falar de política era correr risco de vida. Mas cresci com pais dispostos a correr esse risco e exercitar o pensamento, o espírito crítico. Cresci também amando a democracia, a liberdade de expressão, a liberdade de discordar e isso não ser um toque de guerra, mas um embate de pensamentos. Vibrei criança com a volta da democracia, e fui às ruas acompanhando meus pais nas Diretas Já. Mas na vida adulta nunca tive uma postura política partidária, apesar de, obviamente, simpatizar mais com umas legendas do que com outras. 

 

E como pai, como educa os seus filhos e o que passa para eles em termos de valores e princípios? Acho que promover o espírito crítico em casa é o maior benefício que posso dar aos meus filhos, o que vai muito além da política.

Como descreveria Adriana Esteves e a importância que ela tem na sua vida? Não sou capaz de dimensionar ao certo a importância dela na minha vida. Mas certamente ela me ajudou muito a estar mais próximo do homem que sempre almejei ser.
 Alguma dificuldade em formarem um casal de famosos? Acho que o mais difícil na fama não é a falta de privacidade tão comentada, ao menos não só ela. Mas educar os filhos com esse mesmo espírito crítico citado acima e aplicá-lo  na relação de seus pais com o mundo e vice e versa. 

O que coloca um sorriso no seu rosto e o que faz você enrugar a testa? (risos) Interpretar me deixa de testa enrugada. Já o sorriso, esse é bem mais fácil. Rio das bobagens que me permito fazer, dizer, pensar, ouvir. Tenho um apreço severo pela bobagem. 
 Família unida, carreira estável e próspera e ainda é um homem que arranca suspiros da mulherada! Tem algo ainda para melhorar? (risos) Olha, todo elogio é bem-vindo, mas não posso dizer que me identifico com todos. Reconhecer-me falível, limitado, foi libertador. Quanto aos suspiros, sempre que estiverem a serviço de algum trabalho, vão me envaidecer mais. 

Ezequiel, Nélio Garcia, Valentina / Paulão, Enrico Fuentes, Pedro Borges Karamazov, Orlando, Carlos, Leonardo, Beto e tantos outros personagens formaram e formam o ator que você é, o que aprende e o que ensina em cada trabalho, na TV, no teatro ou no cinema? Gosto da ideia de estar aprendendo sempre e especialmente com meu trabalho. Nunca entro sabendo como fazer um trabalho, no máximo sabendo que saberei fazê-lo de alguma forma. Gosto muito de uma frase de Nietzsche que diz que a arte deve nos tornar suportáveis e, se possível, agradáveis uns aos outros. Isso tem a ver com o aprendizado e amadurecimento.
 Inclusive você já foi até “mulher” no seriado “Sexo Frágil”. Como foi essa experiência e o que aprendeu do universo feminino? Aquilo foi uma brincadeira que pouco me ensinou, confesso. Tenho aprendido mais sobre o universo feminino conversando com minha mulher, observando minha filha e, quiçá, ouvindo Chico Buarque.

Falando em seriado... Ao final de ”Entre Tapas e Beijos”, que na verdade é um tratado sobre relacionamentos, a seu ver, por que havia tanto desentendimento e vai-e-vem entre Armani e Fátima, Jorge e Sueli, se eles se gostavam tanto? Na verdade ali no seriado o mote, como o próprio nome do programa sugere, são os encontros e desencontros amorosos daqueles personagens. Portanto, eles precisavam dos desencontros para que a série não acabasse ao final do primeiro ano! Mas acho que o êxito do programa, que ficou cinco anos no ar como líder de audiência do horário, foi um acerto minucioso de toda a equipe e a exploração por parte dos autores de um tema tão caro a qualquer indivíduo; amor, paixão.
 

 
Falando em seriado... Ao final de ”Entre Tapas e Beijos”, que na verdade é um tratado sobre relacionamentos, a seu ver, por que havia tanto desentendimento e vai-e-vem entre Armani e Fátima, Jorge e Sueli, se eles se gostavam tanto? Na verdade ali no seriado o mote, como o próprio nome do programa sugere, são os encontros e desencontros amorosos daqueles personagens. Portanto, eles precisavam dos desencontros para que a série não acabasse ao final do primeiro ano! Mas acho que o êxito do programa, que ficou cinco anos no ar como líder de audiência do horário, foi um acerto minucioso de toda a equipe e a exploração por parte dos autores de um tema tão caro a qualquer indivíduo; amor, paixão.


O que você inveja nas mulheres (se é que existe algo) e o que te dá orgulho de ser homem? “Homem” de Caetano Veloso fala por mim!

Por que homens e mulheres travam a tal guerra dos sexos? Alguma ideia para selar a paz? (risos) Além de um bom sexo, o respeito ajuda! 

Depois de anos de casado e filhos ainda há espaço para namoro e sedução? SIM!


O que diria para o leitor que não crê no casamento? Creia, mas não no formato tradicional de casamento. Existem inúmeras formas de amar e viver um casamento. Sou um grande entusiasta de relacionamentos e creio que a cilada é achar que há uma única fórmula.

Surfar, andar de bike, qual o seu ideal de lazer e relaxamento? Surfar.

Você é um cara vaidoso? Até que ponto? Como cuida da aparência? Acho minha vaidade legal. Gosto da forma como lido com ela. Envaideço-me muito com o meu trabalho e isso não tem necessariamente a ver com estar com a aparência mais assim ou assada. Hoje, aos 40 anos, cuidar da aparência tem que significar também cuidar da saúde, então optei por uma ginástica que vai diminuir meu risco de problema na coluna. Enfim, estou na fase que ainda chamo fisioterapia de ginástica para soar mais jovial! 

Normalmente você se considera um cara bem humorado? E o que o tira do sério? Sou sim um cara bem humorado. Acredito no humor como forte ferramenta para desarmar a “taciturdez” (“taciturnice”, como preferir) que encontramos frequentemente nos outros e em nós mesmos. Injustiça é de fato o que me enlouquece. 

Encerrando...Quais os projetos profissionais para 2016? O que vem por aí? Farei uma série da Manuela Dias, com direção de Zé Villamarim, chamada "Justiça", que começou agora em abril e deve ir ao ar no início do segundo semestre. Uma série muito interessante que retrata quatro histórias diferentes de pessoas que se envolveram com a justiça e como lidarão com o futuro, suas culpas, angústias… E ainda esse ano lançarei um filme da Claudia Jouvin que se chama Um Homem Só, onde faço um personagem que resolve fazer um clone de si para tentar resolver a sua vida frustrada.

Fonte: Mensch 2016


 

 





Twitter
#MelhoresDoAno2015 #VladimirBrichta💪😍💪
 
VLAD GANHOU!!!!!!!!!!!!! Parabéns, lindo!!!!!!!!!!!
3 Fotos da premiação Vlad com o Lázaro, com os colegas nos bastidores e do Vlad com o Troféu na mão enviadas por 








 



Rock Story é o novo título da novela das sete de Maria Helena Nascimento na Globo 

Antes divulgada com o título de "Sonha Comigo", agora, a novela de estreia como titular da autora Maria Helena Nascimento, se chamará "Rock Story".

Com supervisão de texto de Ricardo Linhares, "Rock Story" terá o mundo do rock como tema, uma trama bem musical que conta a história de um roqueiro quarentão em decadência, que busca a fama em um jovem cantor pop em ascensão.

Os papeis principais ficam por conta de Vladimir Brichta, Nathália Dill, Alinne Moraes e Rafael Vitti.

"Rock Story" tem previsão de estreia para novembro, ocupando o lugar de "Haja Coração", novela de Daniel Ortiz que estreia no dia 31 de maio, substituindo "Totalmente Demais".

Até agora o elenco é composto por Vladimir Brichta, Nathalia Dill, Alinne Moraes, Rafael Vitti, Paulo Betti, Herson Capri, Suzy Rêgo, Júlia Rabello, Nicolas Prattes, Luan Santana, Viviane Araújo, João Vicente de Castro, João Vitor Silva, Pâmela Tomé, Maicon Rodrigues, Cynthia Senek, Mariana Vaz e Rafa Gomes.

A direção artística é de Dennis Carvalho. 

                                Real Beleza
Estreia dia 06 de agosto de 2015

Fic Real Beleza
 Pré Real Beleza

Vlad manda um recado pra Mariana Redondo, fã da Adri e do Vlad, de Portugal, na pré de Real Beleza, em SP - 28 de julho de 2015
  video

Coletiva de Imprensa de Real Beleza de SP - 28 de julho de 2015
Pré Real Beleza de SP - 28 de julho de 2015
O Rei das Manhãs 
Vladimir Brichta será o palhaço Bozo em novo filme





Carreira 

Teatro

 Vladimir Brichta fala sobre o casamento com Adriana Esteves

No ‘Programa do Jô’, ator afirma que se sente um felizardo pela relação 
No Programa do Jô desta terça-feira, 4, o apresentador Jô Soares entrevista o ator Vladimir Brichta, que afirma se sentir um felizardo por ser casado com a atriz Adriana Esteves. “Ela é extraordinária”, declara.
Segundo o ator, a sua mulher é uma pessoa muito carinhosa e com um coração enorme. “A vida em torno dela com os filhos e com os amigos é sempre muito afetuosa, ela é uma pessoa muito atenta ao próximo.”

Depois de 10 anos, Vladimir e Adriana voltam a contracenar juntos no filme, “Real Beleza”, de Jorge Furtado. “Sou um fotógrafo atrás de uma modelo nova, que acaba se envolvendo com a personagem da Adriana”, relata.
Contracenando pela primeira vez no cinema e voltando a se encontrar atrás das câmeras depois de 10 anos, o casal de atores Vladimir Brichta e Adriana Esteves levou a parceria da vida real para as telas no filme "Real Beleza", que estreia nesta quinta (6).
"Além da intimidade, trabalhar com a Adriana ajuda porque conseguimos saber os nossos tempos de falar e de escutar, o que ajudou a contar essa história recheada de silêncios significativos", explica Brichta. "E, claro, a melhor parte é poder dar um beijo que não é técnico", brinca.
Na trama, Brichta faz um agenciador de modelos que vai a uma pequena cidade no interior do Rio Grande do Sul e se interessa pela jovem Maria (Vitoria Strada). Mas para tentar levá-la para São Paulo, ele precisa convencer seu pai (Francisco Cuoco), o que já seria difícil se ele ainda não estivesse apaixonado por Anita (Adriana Esteves), a mãe de Maria.
"O mais legal é que não somos exatamente um par romântico", diz Adriana. "Meu par é o Cuoco e então não tem essa coisa de casalzinho, de uma dupla que se fecha. Isso mostrou que não é porque a gente é casado que somos uma coisa de um terminar a frase do outro. A equipe percebeu isso e por isso o filme ficou bacana", acrescenta.
Vladimir explica que, apesar de não "se fecharem" em um casal, a vida que levam juntos fora das cenas ajudou a dar mais força ao roteiro. "Como nossos personagens não se conheciam, optamos por não contarmos quase nada sobre eles um para o outro", diz. "Então as inseguranças da aproximação vistas no filme se tornam mais reais".
Entre o velho e a "neochanchada"
A equipe sabe, contudo, que um drama ou romance desse tipo pode não ser a primeira opção de quem sai de casa para ir ao cinema. "O cinema hoje em dia sofre para cacete para não ser atropelado por filmes com apelo imenso, como os heróis da Marvel ou as comédias da Globo Filmes", diz Brichta. "É um pouco frustrante saber que, se você não tem uma divulgação agressiva, daquelas que cria tipo um vírus 'preciso ver esse filme', você pode acabar sendo visto por menos pessoas do que imaginava".
Ainda sobre a preferência do público, o ator acredita que o desempenho de filmes como "Real Beleza" não deve ser medido por seu gênero, mas sim pela capacidade de competir com a agressividade dos megassucessos. O diretor Jorge Furtado ("Ilha das Flores", "O Mercado de Notícias") concorda:
"Sempre houve espaço para diversos gêneros", explica. "Sempre vai haver comédia, drama, tragédia, terror. E o cinema brasileiro cresceu quando ele assumiu

Vlad, Francisco Cuoco e Vitória Strada em Fortaleza (CE) no Cine Festival de Cinema do Ceará - Junho 2015


Vladimir Brichta aposta no cinema e conta como foi contracenar com a esposa, Adriana Esteves, pela primeira vez

Depois de quatro anos no seriado Tapas & Beijos, chegou a hora de Vladimir Brichta apostar as fichas no cinema. Além de protagonizar Muitos Homens Num Só, em cartaz na cidade, aparecerá na ficção científica Um Homem Só e em Real Beleza, a ser lançado no dia 6 de agosto. Nesse último, ele contracena pela primeira vez no cinema com sua mulher, a atriz Adriana Esteves. “Foi o nosso primeiro beijo cênico. Para não contaminar a história com a intimidade da vida real, preferimos nem passar o texto juntos. Foi tudo uma surpresa. Mas é sempre um prazer beijar a Adriana na frente ou atrás das câmeras, brinca o galã. Depois da sucessão de trabalhos cinematográficos, ele até criou uma lista do que não topa mais fazer em cena. Exemplo: atuar com cachorro, porque “o animal nunca obedece”. E com a Adriana? “Ela eu não vetei, não”, diz, aos risos.

 Muitos Homens Num Só





Estreia dia 25 de junho de 2015 - É HOJE!!!!!!!!!
 Minions  
Estreia dia 25 de junho de 2015 - É HOJE!!!!!!!!!

"Cavalheiro, carinhoso e cuidadoso"

"Vladimir é um homem que tem um respeito enorme pelo próximo. Imagine com as pessoas que ama? Ele diz que, quando era bem pequeno, Carmem, a mãe dele, dizia que a mulher com que se casasse seria uma sortuda! Desde aquela época já era um cavalheiro, carinhoso e cuidadoso. E essa sorte toda foi minha!”

Adriana sobre Vladimir


Vladimir Brichta - Além de excelente ator e ótima pessoa - já tive o prazer de ver esse cara pessoalmente várias vezes e, em todas as vezes ele foi de uma grande delicadeza e simpatia comigo - Vlad é marido da minha querida Adriana Esteves que há 25 anos é minha atriz preferida. Esse ano, infelizmente, Adri esteve fora da telinha e, mas pra minha alegria, o ano foi de ver Tapas e Beijos no qual Vlad participa ao lado de outros grandes atores. Por isso, galera, votem no Vlad em todas as enquetes que ele estiver concorrendo.

No momento elas são:
Pré Estreia de Muitos Homens num Só - 9 de janeiro de 2015
 

 

Na noite desta terça-feira, 9, a atriz Adriana Esteves foi ao cinema com o marido, o ator Vladimir Brichta. O casal esteve na pré-estreia do filme “Muitos homens num só” no Cine Odeon, no Centro do Rio. Fernanda Torres, Natália Lage, Chico Diaz e Orã Figueiredo foram outros famosos que prestigiaram a pré-estreia.

Vladimir Brichta conta como divide funções da casa com Adriana Esteves: 'Quando um está enrolado, o outro segura a onda

Ator, que volta ao ar em 'Tapas & beijos', se prepara para lançar quatro filmes e estrear uma peça


por
RIO - Vladimir Brichta não gosta de ficar parado. O ator, que volta ao ar em 'Tapas & beijos' a partir desta terça, dia 14, já tem proposta para um novo trabalho na TV após o fim da série, se prepara para lançar quatro filmes - "Muitos Homens num Só", "Um Homem Só", "Beleza" e "Vai que dá certo 2", e ainda vai começar a ensaiar a peça "Só César", baseada na obra "Julio César", de Shakespeare.
- Eu gosto de trabalhar e gosto de não trabalhar (risos). Para administrar o tempo, eu procuro me envolver com o que me dá prazer. Estar numa série e numa peça ao mesmo tempo é possível, já estar numa série e ensaiar ao mesmo tempo é complicado. Quando fiz "Arte", não ensaiei como gostaria - conta Vladimir, que se diz adaptado às séries: - Quando tem novela boa no ar, a gente fica amarradão para fazer, mas eu me encontrei nas séries. Agora depende do que vai pintar.
No meio disso tudo, o ator ainda dedica um tempo para cuidar da família. Casado com Adriana Esteves, ele é pai de Agnes, de 17 anos - do primeiro casamento, e Vicente, de 8, e padrasto de Felipe, de 15, filho de Adriana e Marco Ricca.
- Agora eles estão crescendo, a gente não precisa mais ficar no pé com o dever de casa, por exemplo. Mas temos uma estrutura muito legal, conseguimos nos dividir bem, e tem os pais da Adriana que são muito presentes. Mas é assim, quando Adriana está enrolada, eu seguro a onda, e quando eu estou enrolado, ela segura a onda.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cultura/revista-da-tv/vladimir-brichta-conta-como-divide-funcoes-da-casa-com-adriana-esteves-quando-um-esta-enrolado-outro-segura-onda-1-15840652#ixzz3XKFCNsJE


© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.


Surf

Perto de lançar filme com Adriana Esteves, Vladimir Brichta tira dia para surfar: ‘Foi um prazer e uma redescoberta’

Enquanto não volta ao ar na pele de Armane de “Tapas & beijos”, Vladimir Brichta, de 38 anos, aproveita uma folga — e o dia quente do Rio de Janeiro — para pegar onda. O marido de Adriana Esteves, de 45, se despede da série este ano, quando deve estrear “Beleza”, primeiro longa gravado em parceria com a mulher, dirigido por Jorge Furtado.
"Aconteceu uma coisa curiosa. A gente só tinha trabalhado junto em 2002 (“Coração de estudante”) e 2003 (“Kubanacan”) e de lá pra cá não trabalhamos juntos, só publicidade. Existia a expectativa grande, mas a gente não levou isso adiante. E surgiu esse convite do Jorge Furtado. Ficamos muito empolgados" conta o ator, casado com Adriana há 9 anos.

Com a voz muito doce ao falar na mulher, que estreia na minissérie “Felizes para sempre?” segunda-feira, Vladimir fala que se surpreendeu com a parceria:
"Havia uma curiosidade de como isso se daria. Certamente não éramos os mesmo de 10 anos atrás. Tinha talvez um medo velado de que esse encontro não fosse tão prazeroso como foi profissionalmente da primeira vez. E também como é esses anos todos de convívio. Mas, na verdade, ela se tornou uma atriz muito generosa. Me fez relembrar o quanto ela é uma parceira fantástica. Ela procura e gosta da parceria, do jogo. E reconheci de novo isso nela, a inquietação de fazer o melhor e a busca da melhora através do outro. Foi um prazer e uma redescoberta" declara-se Vladimir, que de vez em quando também aparece surfando com Felipe, de 15 anos, filho de Adriana com o ator Marco Ricca.
Trabalhos de 2015   
Especial dos 50 Anos da Globo
Vladimir estará com Débora Falabella no especial que irá comemorar os 50 anos da Rede Globo
Teatro 
Caesar - Espetáculo de Shakespeare com Vladimir e Thiago Lacerda



Teatro - Peça de Shakespeare terá Thiago Lacerda e Vladimir Brichta - http://www.bonde.com.br/mY59508 
 
·  Divirta-se@divirta Dec 25
terial jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://cultura.estadao.com.br/noticias/teatro,thiago-lacerda-e-vladimir-brichta-juntos-em-caesar,1611798
  rial jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://cultura.estadao.com.br/noticias/teatro,thiago-lacerda-e-vladimir-brichta-juntos-em-caesar,1611798http://cultura.estadao.com.br/noticias/teatro,thiago-lacerda-e-vladimir-brichta-juntos-em-caesar,1611798
O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://cultura.estadao.com.br/noticias/teatro,thiago-lacerda-e-vladimir-brichta-juntos-em-caesar,1611798 Melhores do Ano 2014   - votação ENCERRADA! Que nossos votos tenham conseguido ajudar o Vlad a receber seu mais que merecido Prêmio! Boa sorte, Vlad!!!!!!!!!!!
Taís Almeida Cardoso -  Valinhos (SP) - Presidente
 Vlad infelizmente não ganhou os Melhores do Ano de 2014, mas venceu em elegância e simpatia e, nisso, Vlad, vc é vencedor SEMPRE!!! Durante o programa que premiou Bruno Gagliasso, Vlad falou da emoção de estar concorrendo pelo trabalho como Armani de Tapas e Beijos e pela alegria de fazer parte do elenco. Ele finalizou falando da Adriana e da importância que tem a opinião da esposa para a avaliação de seu trabalho.
video

Vladimir Brichta: o avesso do rótulo

Portal Leão Lobo
Estou te reconhecendo... Você é aquele humorista?” Sem querer, o senhor – que indagou Vladimir Brichta durante corrida na esteira da academia do hotel – pisou no seu calo. Sou ator, mas tenho feito bastante comédia.” Minutos depois de responder ao interlocutor, o mineiro-baiano notou que deixou claro, de bate-pronto, que é ator antes de qualquer outra denominação. Ele é avesso a estereótipos. Agradece o título que já tentaram lhe atribuir de Ben Stiller brasileiro, sente-se lisonjeado até, mas não veste este rótulo. Assim como cantou Caetano Veloso, um de seus ídolos, ele tem capacidade de mostrar – sim! – que pode ser ‘o avesso do avesso do avesso’. “Não me contentaria em fazer só humor”, confessa.

Embora tenha protagonizado sucessivos sitcoms nos últimos anos – atualmente está no ar como o Armane, de Tapas & Beijos (Rede Globo) –, em sua primeira década de carreira desenrolou desde peças infantis até histórias dramáticas. E acaba de estrear no Festival do Rio com o longa A Coleção Invisível, drama baseado em conto do judeu Stefan Zweig. Vladimir faz Beto, jovem que tenta salvar o antiquário de família e procura uma coleção de gravuras raras no interior da Bahia. Lá, conhece o colecionador Samir (Walmor Chagas) e tem uma grande lição vida. Em nome do personagem, perdeu 11 quilos.

Nos palcos, compõe a peça Arte, da francesa Yasmim Reza, em cartaz até o dia 25 de novembro no Teatro Renaissance, em São Paulo. A montagem, é claro, arranca gargalhadas da plateia, mas também traz mensagem ao expor de forma diferenciada a relação humana, exemplificada por três homens – interpretados por Marcelo Flores e Cláudio Gabriel – que discutem a amizade através de pontos de vista diferentes em relação a um quadro em branco. O detalhe é que a tal ‘peça de arte’ foi comprada por um deles pela bagatela de R$ 200 mil.

A obra, além de marcar sua primeira produção, exala a segurança do ator e sua satisfação com os caminhos que a carreira tomou. Por isso, a crise que o acometeu há alguns anos por ter medo de se limitar a um único tipo de personagem já foi superada. “Meu momento profissional me dá muito prazer de estar onde estou, de ter conquistado um lugar que eu tinha como objetivo: aquele onde posso fazer escolhas.” Vladimir chegou a participar de peças que não lhe agradavam porque a necessidade falava mais alto que sua vontade. Hoje ele escolhe, com orgulho, fazer papéis engraçados, dramáticos e também produzir peças com a temática que quiser.

Tanto que está nos seus planos interpretar o psiquiatra da obra dramática Equus, de Peter Shaffer. Vladimir encenou a mesma história em 1998, só que no papel do jovem Alan Strang, tratado pelo profissional após um surto. “Fiz uma promessa para mim mesmo: quando tivesse idade possível para ser aquele senhor, remontaria a peça fazendo o psiquiatra. Amei o personagem.” Também se vê, daqui a algum tempo, na direção. Os projetos são muitos e com grande chance de execução. “Ainda tenho uma vida pela frente.”

Por trás desta persona engraçada, no entanto, está o nome de um dos maiores mártires da ditadura militar no Brasil. O geólogo Arno Brichta, pai do ator, trabalhava com Vladimir Herzog na TV Cultura e acompanhou todo o processo de prisão e morte do então diretor da emissora nos porões do DOI-Codi. “Por questões ideológicas, decidi isso quando Vladimir ainda estava na barriga da mãe. Quis homenagear a pessoa boa e honesta que foi Herzog”, lembra Arno.

Assim como a história que originou seu nome, Vladimir também sabe ser sério, principalmente quando fala sobre os limites do humor, o alcance da arte no ,Brasil a atenção dispensada pelo governo à Cultura, o boom de Carminha (interpretada por sua mulher, Adriana Esteves) em Avenida Brasil, família e filhos. Conheça a seguir as outras faces de Paulo Vladimir Brichta – ou Vlad, para os íntimos.

A IMPORTÂNCIA DO HUMOR
Vladimir Brichta nasceu em Diamantina (MG), mas aos 2 anos deixou sua terra natal e seguiu rumo à Alemanha, onde o pai fez doutorado em Geologia. Com 6, retornou ao Brasil e estabeleceu raízes na Bahia, onde morou até a maioridade. Como todo ‘nordestino’ que se preze, sabe fazer humor de maneira peculiar. Desde pequeno, mostrou-se engraçado. “O humor reflete o estado de espírito de uma pessoa. A alegria tem ligação direta com o humor e ele (Vladimir) sempre foi uma pessoa alegre”, lembra o pai. Arno tem orgulho de o filho desempenhar bem a função humorística até porque, para ele, esta manifestação artística possui valor especial: é uma forma de transmitir de maneira mais leve e engraçada informações, conhecimento e críticas do mundo real. Pode até servir para contestação.

Arno diz isso porque é de um tempo em que O Pasquim, jornal em formato tabloide lançado em 1969, no Rio de Janeiro – auge da ditadura militar –, usava de artifícios engraçados, como charges e textos, para mostrar o descontentamento da sociedade com a política vigente. A publicação, feita por nomes como Jaguar, Chico Caruso, Ziraldo, Sérgio Cabral, entre outros, chegou a vender 250 mil exemplares, o que incomodou os militares. À mesma época, a peça Roda Viva, de Chico Buarque, que contava a ascensão e queda de um ídolo, foi atacada pelo CCC (Comando de Caça aos Comunistas), tendo atores espancados e cenários destruídos por ser tachada de subversiva.
Sem saber desta consideração do pai, Vladimir também acredita que o humor pode instruir o público. A peça Arte, por exemplo, não só entretém como mostra a engrenagem das relações na ‘arte’ do convívio, situação corriqueira a qualquer ser humano em casa, no trabalho ou na sociedade. Não há quem saia do teatro sem refletir sobre a maneira como conduz suas relações, inclusive de amizade.
Para o ator, o humor também deve respeitar os limites do bom-senso. E quais são? “É possível ser engraçado, divertir, fazer refletir, provocar em cima de um palco sem que você tenha de ofender alguém.” Não há necessidade de ser agressivo para arrancar o sorriso do rosto de uma pessoa: “O riso também está na delicadeza, na sutileza. Acho que a ofensa é um sinal de alerta para esse humor”. Vide casos recentes de alguns ditos ‘humoristas’ que foram processados por exagerar em suas piadas, principalmente na televisão.

O VALOR DA ARTE
O Brasil, como todos sabem, é um celeiro cultural. Existem talentos e novidades pipocando diariamente em todas as ramificações de arte. Só o que falta, acredita Vladimir, é o interesse público em incentivar e difundir esses diferentes tipos de possibilidade. “Se a gente entrar neste campo da Cultura, em alguns aspectos sofremos com descaso e pouca atenção. A ministra da Cultura (ex-ministra Ana de Hollanda) manifestou, através de carta, sua preocupação por conta da pouca verba destinada à Pasta. Isso é só um exemplo de como a Cultura é vista, abordada e gerida no Brasil.”

O ator diz isso porque, antes de deixar o posto, hoje ocupado por Marta Suplicy, Ana fez carta ao Ministério do Planejamento se queixando da falta de recursos para atender às demandas essenciais da Pasta. Mas nem por isso Vladimir acredita que o brasileiro não dê a devida importância à arte.“O que falta é estímulo”, avalia o ator, ferrenho defensor de que as artes cênicas tornem-se matéria obrigatória na escola. “Falo teatro porque ele trabalha muito no microcosmo da sociedade. (No teatro) Você é indivíduo e é coletivo. Aprende a lidar com frustrações, expectativas e é posto à prova. Para um ser em formação, é um grande estímulo, exercício para o futuro cidadão.”
Em São Paulo, o incentivo ao teatro é mais latente. Tanto que a chance de um espetáculo ser bem-sucedido, revela o ator, é muito maior nos palcos paulistas do que em qualquer outro Estado do País. Arte, por exemplo, que ficaria em cartaz até o fim de setembro, teve a temporada estendida por mais dois meses em razão da procura do público. “Se as escolas tivessem acesso a isso, seria mais natural o contato com a arte”, acredita, citando que iniciativas como as do Sesc (Serviço Social do Comércio) são de grande valia para a classe artística em geral.

PODER DAS NOVELAS
Vladimir participou de cinco novelas globais: a primeira foi Porto dos Milagres (2001), seguida por Coração de Estudante (2002), Kubanacan (2003), Começar de Novo (2004) e Belíssima (2005). Também fez cinema. Entre os longas estão A Máquina, de João Falcão, que o trouxe para São Paulo junto com Wagner Moura e Lázaro Ramos; Mulher Invisível e Quincas Berro d´Água, além de nove seriados e dezenas de peças teatrais. Como mostra o currículo, passeou por todas as ramificações da interpretação e sabe como funciona cada uma delas. É por isso que afirma que o teatro nunca alcançará a repercussão que a televisão tem. “Tenho a sensação de que se você esperar por isso vai se frustrar.”
Para ele, cada um tem um espaço a ocupar e a televisão, dentre as três vertentes, exerce poder incomparável. “Fazer uma peça, por mais sucesso que o espetáculo tenha, atinge uma quantidade de pessoas ínfima em comparação com as que me veem pela televisão.” Como exemplo, cita a repercussão de Avenida Brasil, que, além da grande audiência, tem gerado piadas em redes sociais – são inúmeras as fotos de Carminha (Adriana Esteves, mulher de Vladimir na vida real) com Nina (Débora Falabella) –, e os nomes das personagens chegaram a ser citados no julgamento do Mensalão, ainda em andamento no STF (Supremo Tribunal Federal).

Por falar em Carminha, o ator não vê com maus olhos a inversão de valores do público, que torceu mais pela vilã do que pela mocinha durante certo período da trama. Vladimir não gosta da maniqueísta divisão entre bem e mal. “Não sou expert, mas acho que a partir do momento em que a Nina começou a abrir mão do amor em nome da vingança, ficou obsessiva, próxima do temperamento das vilãs.”
Enquanto a mocinha ficou focada na revanche contra a ‘madrasta má’, Carminha ganhou lateralidade e tornou-se mais aberta do que Nina, mais humana, o que a aproximou do telespectador. Além, é claro, do talento e dedicação das atrizes, da genialidade do autor João Emanuel Carneiro e de todo o elenco envolvido. “Sem a Nina, não existiria a Carminha e vice-versa.” E qual o fim que Carminha merece? “Não sei. Para mim, quanto antes acabar, melhor para a ‘bichinha’ voltar para casa, diz sorrindo.

 A LUTA DE UM PAI
Em 2002, Vladimir travou luta pela guarda de sua filha, Agnes, hoje com 14 anos. A garota é fruto de seu primeiro casamento, com a cantora Gena Karla, que morreu aos 28 anos vítima de porfiria, doença que causa distúrbios do metabolismo. Com isso, a menina passou a morar com a mãe de Vladimir em Itacaré, e depois ficou com a avó materna, Maria Eugênia da Silva Ribeiro, que reivindicou sua guarda permanente. A alegação era de que o pai, que acabava de iniciar carreira na televisão, não tinha condições financeiras para sustentar a criança.

Com o apoio da classe artística, inclusive de apresentadores como Faustão e Ana Maria Braga, Vladimir venceu a batalha. Chegou a ganhar moção de apoio na Câmara dos Deputados e um prêmio da Comissão de Direitos Humanos por ter dado exemplo de responsabilidade paterna. Hoje, comemora sua vitória, mas refuta o preconceito sofrido à época. “Algumas pessoas não aceitam a ideia de um pai educar um filho. Outras, pelo contrário, veem isso com normalidade. A parte boa de tudo isso é que a situação gerou uma discussão grande e saudável, do tipo: um homem jovem e ator não pode ser pai, não pode ser responsável, não pode ter a guarda de um filho?” Vladimir se diz satisfeito porque soube conduzir e educar a filha para que passasse ilesa pelo embate e, apesar de tudo, a incentivou a manter a relação com a família materna.

Além de Agnes, é pai de Vicente, 5 anos, fruto de seu casamento com Adriana, com quem esta há dez anos. Ela também é mãe de Felipe, 12, do relacionamento com o ator Marco Ricca. Os cinco moram juntos no Rio e todos os rebentos são criados de forma uníssona. “A gente não é careta, tradicionalista, nem é o ‘porra louca’ que se imagina do artista. Nossa matéria-prima são os afetos, a sensibilidade, e educamos levando em conta isso.”

Na contramão do Armane, o mulherengo e pai ausente de Tapas & Beijos, que permanecerá na grade global em 2013, Vladimir se considera um pai ‘nota dez’. “Gosto muito de ser pai e tento administrar isso da melhor forma possível, o que não significa que não tenha dificuldades. Essa história de padecer no paraíso é balela, a não ser que o paraíso seja diferente do que a religião ensinou para a gente.” A vida não é, de fato, um eterno Éden, nem mesmo na vida de um ‘humorista’.

Dia a Dia
Niver 2015
Almas Gêmeas

Trabalhos

Muitos Homens num Só
Real Beleza
Minions 

 Twitter 
Vladimir Brichta - Votação/Entrevista/Novo Trabalho na Globo - a SIMPATIA de Vladimir já o torna um vencedor SEMPRE


"Adriana Esteves é a atriz que mais ganhou nessa categoria"

vladimir brichta lindo demais af



Adriana Esteves e Vladimir Britcha eu shippo muito desde Coração de Estudante



Vladimir Brichta GATÍSSIMO
 

e minha aposta vai pra::vladimir brichta #MelhoresDoAno
 





o negócio aqui é vladimir gente, VLADIMIR BRICHTA, vcs tão me entendendo?? ok, obg, de nada
 



Vladimir Brichta (?) QUE HOMEM



Acho o Vladimir Brichta tão fofooo <3


Vladimir Brichta é tão bonito. #MelhoresDoAno 
3h3 hours ago
Vladimir Brichta esse seu poder de acabar cmg...
Vladimir Brichta é um fofo. Adoro ele e a Adriana Esteves
Vladimir Brichta falando da Adriana Esteves é muito amor. Nem esconde a baba escorrendo. 



ano que vem tem adriana esteves em duas categorias no mda, segura esse forninho haters

 ·  Dec 28
adriana esteves está para o melhores do ano como a Beyoncé está para o Grammy, rainhas

 ·  7h 7 hours ago
Adriana Esteves nem esta no e está sendo mais comentada do q não sei o que Imagina se estivesse no meio

Tinha esquecido que Vladimir Brichta é um charmosao! Obrigada, Faustão!

7h7 hours ago
Vladimir Brichta se declarando pra Adriana Esteves. <3
Vladimir Brichta falando da Adriana Esteves é muito amor. Nem esconde a baba escorrendo.

7h7 hours ago Recife, Pernambuco
fernanda torres e vladimir brichta melhores pessoas
  7h7 hours ago
Imagina que louco dormir e acordar com Bruno Gagliasso, Cauã Reymond ou Vladimir Brichta te olhando, infartava toda manhã
7h7 hours ago
vladimir brichta merece qualquer prêmio desde que deu vida a enrico puentes
7h7 hours ago
Adriana Esteves e Vladimir Brichta shippo d+++
Poderia ter uma categoria melhor casal ! Quem ganharia sempre era Adriana Esteves. E Vladimir
procure "adriana esteves" e "vladimir brichta", gente só elogios do público. ORGULHOOOOO, AMO VCSSSS <3
nem precisa de votação ano que vem, adriana esteves já ganhou tudo em todas as categorias.
"ADRIANA ESTEVES GANHOU UMA CACETADA DE VEZES AQUI" RAINHAAAAAAAAAAAAAAA LACRADORAAAAAA
 
''a atriz que mais venceu nessa categoria foi adriana esteves, com três prêmios'' AI MEU MORE, SA MULER É LACRADORA
"Adriana Esteves a que mais ganhou" "Adriana Esteves já levou uma cacetada de prêmios" chupem todos
Adriana Esteves quem mais ganhou ouviram

E ADRIANA ESTEVES É ATRIZ QUE MAIS GANHOU NESSA CATEGORIA SKSHJDHDYF

ATENÇÃO BRASIL Q ADRIANA ESTEVES DIVA GANHOU TRES VEZES LACRANDO O CU DAZINIMIGAS

7h7 hours ago
"O PAI DO VICENTE E DA AGNES... GLORIOSO VLADIMIR BRICHTA"

Vladimir Brichta não envelhece

   Taís Almeida Cardoso -  Valinhos (SP) - Presidente
Votação do Melhores do Ano que estou organizando pelo Facebook
Taís Almeida Cardoso Galera, a medida que forem votando NO VLAD, LÓGICO, coloquem aqui as palavras q forem aparecendo, por favor, gente, o Vlad conta com os nossos votos pra ganhar o MELHORES DO ANO.
 Vladimir Brichta: "Não sinto falta de fazer novela"
Vladimir Brichta quer desacelerar. Depois de quatro anos na pele do comerciante Armane, da série "Tapas & Beijos", da TV Globo, e também atuando no cinema e no teatro, o ator pretende reservar um tempo para curtir os filhos e a esposa, a atriz Adriana Esteves. "Fiz muita coisa e agora estou no momento de colocar na balança", resume ele. A declaração chega ao mesmo tempo em que o canal não confirma a atração na grade de programação de 2015. O momento é de despedida, já que a temporada termina em dezembro. Aos 38 anos, Brichta estreou na TV como o garçom Ezequiel, na novela "Porto dos Milagres" (Globo), em 2001, mas sua carreira começou no teatro. Foi no veículo que ele conquistou o reconhecimento do público, em 2000, ao fazer parte do elenco de "A Máquina", de João Falcão. A peça virou um longa-metragem, em 2005, no qual o ator esteve ao lado de Lázaro Ramos e Wagner Moura, entre outros. Atuante também no cinema, ele coleciona nove filmes no seu currículo. "Muitos Homens Num Só", um dos mais recentes e ainda sem data de estreia, ganhou dez troféus no 18ª Cine PE Festival, em Recife. Brichta não faz novela desde 2005, quando viveu o personagem Narciso, em "Belíssima" (Globo).
Você interpreta o Armane há quatro anos. De onde tira motivação para viver o mesmo personagem há tanto tempo?Acho que me lembro de que estou contando histórias muito divertidas, inspiradas. A parceria que tenho com meus colegas é instigante, estimulante e motivadora. A gente trabalha para agradar o público e o programa consegue isso.
Qual sua reação quando é abordado nas ruas? Depois de quatro anos, os fãs ficam muito íntimos do programa, dos personagens e abordam bastante. Muitos me chamam de Armane ou perguntam pela Fátima (Fernanda Torres). Tudo com uma abordagem sempre bem-humorada.
Acha que será seu personagem mais marcante? Espero poder fazer outros que marquem tanto ou mais que o Armane, mas tenho certeza de que esse é um dos que vai entrar para a história. Um personagem feito por meia década deixa um ponto marcado na minha trajetória. Tenho muito orgulho disso. Eu me dediquei a criá-lo de forma que fosse prazeroso fazê-lo e bom de assistir. Pessoalmente, deixa uma marca em mim, e acho que, para o público, também vai ficar a lembrança. Ambiciono fazer coisas variadas em outros formatos e no humor também.

Passou pela sua cabeça que o programa teria tantas temporadas? Pelo formato e pelo elenco, sentia que ele tinha potencial para durar. Por exemplo, a Andréa Beltrão vinha de "A Grande Família", a Fernanda Torres tinha vindo de "Os Normais", eu vinha de duas outras séries, "Separação?!" e "Faça Sua História". Era um grupo que tinha um "know how" de série. Achava que isso contabilizaria.
 
Sente falta de fazer novelas? Não sinto falta de fazer novela especificamente. Não tenho saudade do formato. Claro que ficaria muito feliz se surgisse a oportunidade, mas sinto mais falta de interpretar outros personagens para o público da televisão. Nesses anos, vivi outros papéis no cinema e no teatro.

Já estão ensaiando uma despedida ou o trabalho acontece como se essa não fosse a última temporada? A gente não trabalha pensando no fim, até porque o ideal é deixar uma boa recordação. Temos de terminar em grande estilo e, para isso, tem de manter o empenho. O foco é tentar manter a qualidade que a gente conseguiu imprimir e acabar de forma harmoniosa.
 
O que você aprende com Tapas & Beijos? Acho que manter um personagem por tanto tempo, tentando inovar, mas sendo o mesmo. É um aprendizado. Em todas as temporadas, tentei trazer algo e amadurecer o personagem. Nunca achei que ele estivesse totalmente dominado.

O programa se torna político por discutir situações do dia a dia, sem impor nada. Fazer isso, e ainda com humor, lhe agrada? Sem dúvida. O humor também dá a possibilidade de estar sempre testando os limites do que é o correto e o senso comum. Ele tem o lugar da provocação. A gente tem um código de conduta social, e o humor questiona como ele faz sentido. É uma reflexão que o programa traz que é valiosa para a discussão do nosso tempo e das nossas relações.

Depois de anos como galã cômico, você aceitaria um papel nos mesmos moldes ou busca outro tipo de personagem? Não fugiria de um personagem que tivesse alguma semelhança. Tentaria fazer diferente, mas não fugiria. A única coisa é que a história teria de ser interessante.

Por que acha que o público tem preferido os vilões aos mocinhos? A gente vive uma leva de grandes vilões. Apesar de que, se voltarmos no tempo, vamos lembrar, por exemplo, de Vale Tudo (novela de 1988), que já tinha isso bem marcado.

Ainda lhe convidam muito para papéis cômicos? Convidam sim, muito. Tenho tido a felicidade de ser convidado para gêneros diferentes, mas o humor é muito particular e, até pouco tempo atrás, os convites eram basicamente só para o gênero. Poucas pessoas me convidavam para algo diferente. O humor é muito presente porque faço na TV, mas estaremos lançando filmes que integrei o elenco e que não seguem essa linha da comédia, como Muitos Homens Num Só.

Prefere assistir a séries, filmes ou novelas? Prefiro assistir a filme. Como não tenho muito tempo para ver, prefiro algo que comece e termine ali. Vejo série e novela também, mas me exigem um acompanhamento. É outra relação.

Por falar em filme, em "A Coleção Invisível", no ano passado, você interpretou um protagonista no campo dramático. Quais foram as dificuldades desse personagem? A dificuldade nunca é o gênero humor ou drama. É tentar que aquele indivíduo seja crível e fazer o público alcançar o máximo de camadas que ele tem.

"Em Muitos Homens Num Só", você dá vida a um personagem de época. O que foi mais desafiador nesse trabalho? A dificuldade foi o fato de ter uma temática de época Tem um código social e um linguajar diferentes dos de hoje. Ser espontâneo naquela época, certamente, é diferente do que é hoje. Não queríamos um filme que agradasse o historiador, mas, sim, contar a história com um olhar de quem vive hoje. Até porque temos muita referência do século passado na literatura, mas não temos arquivo de filme ou de gravação para saber com se falava. E a linguagem escrita e falada são  diferentes. Tornar a linguagem e o comportamento de outra época coloquial e orgânico é o desafio.
 
Qual sua relação com a internet e redes sociais? Não é que não seja fã de internet, ainda mais porque por meio dela a gente se comunica facilmente, tem acesso à informação com facilidade, mas rede social não tenho. Perderia um tempo precioso com isso. Acaba-se falando de intimidades que considero desinteressantes. Não acho que as minhas valham a pena serem expostas.

O que gosta de fazer no tempo livre? O tempo livre que tenho gosto de curtir meus filhos (Agnes e Vicente), minha mulher (a atriz Adriana Esteves), cuidar da minha saúde também. Agora estou em um momento de desacelerar. Nesse tempo de Tapas & Beijos, fiz cinco filmes, uma peça que durou três anos e um programa. Realizei muita coisa, e agora estou no momento de colocar na balança.

Se pudesse escolher um final para a história do Armane, qual seria? Acho que a Fátima (Fernanda Torres) poderia virar sócia dele na loja e eles poderiam ter um filho. Ou adotarem um.


Globo define exibição de série com Vladimir Brichta

No ar em “Tapas e Beijos”, Vladimir Brichta já está escalado para um novo trabalho na Globo, antes mesmo da exibição da última temporada do humorístico em 2015.


Segundo o colunista Fernando Oliveira, o ator protagonizará um novo seriado escrito por Guel Arraes (também diretor da atração), Mauro Wilson e Jorge Furtado, que tem estreia prevista para o primeiro semestre de 2015. A trama gira em torno dos primórdios da TV no Brasil, nos anos 50.


Como parte da programação do cinquentenário da Globo, a série deverá ir ao ar em abril, nas noites de quinta-feira, ocupando o lugar da segunda temporada do “Tá no Ar”. O elenco também deve contar com Débora Falabella, Lázaro Ramos e Gustavo Falcão.

 

Shopping - 10 de abril de 2016
Show Ana Carolina e Seu Jorge - 9 de abril de 2016